Todo estudante que deseja realizar uma pós-graduação fora do Brasil precisa comprovar domínio do idioma falado no país de destino. Para o caso das nações de língua inglesa, as provas de proficiência amplamente utilizadas são o Test of English as a Foreign Language (TOELF) e o International English Language Testing System (IELTS).

As duas provas  testam listening (compreensão auditiva), reading (leitura), writing (escrita) e speaking (oral). O TOEFL é administrado pelo ETS, e pode ser realizado via internet (o chamado iBT) ou em papel impresso (o PBT). É muito mais fácil e comum fazer o iBT. A nota final do iBT varia entre 0 a 120 pontos, sendo que cada uma das quatro seções, vale  30 pontos da nota final. O exame tem validade de dois anos e pode ser realizado em várias cidades do país. O IELTS foi criado pela Universidade de Cambridge e é administrado pelo British Council.  Diferentemente do TOEFL, não tem prazo de validade e pode ser refeito sem limite de intervalos. Mas é importante saber que as universidades geralmente exigem exames realizados há menos de dois anos. A nota é dada em uma escala de 0 a 9. A prova é dividida em dois módulos, um chamado de Academic Module – voltado a candidatos de graduação e pós-graduação; e outro que é  o General Training Module – voltado a profissionais. A prova é aplicada em todo o Brasil de 2 a 3 datas por mês.

Confira o quadro abaixo para saber as principais diferenças: